A FG Wilson financia pesquisas inovadoras de grande porte

A doação para o estudo do tubarão tigre rendeu grandes resultados

Um grande avanço na gestão internacional dos movimentos dos tubarões tigre ao longo da região sudoeste do Pacífico foi feito graças à pesquisa financiada pela FG Wilson.

Em 2009 a FG Wilson, a líder mundial na fabricação de grupos geradores a diesel e a gás, doou $5.000,00 para a Universidade de Queensland para apoiar seu Programa de Pesquisa sobre o Tubarão Tigre do Sudoeste de Queensland.

Essa pesquisa, a primeira do tipo na região leste do Indo-Pacífico, foi parte de um estudo de doutorado de um estudante, que observa os movimentos dos tubarões tigre (Galeocerdo cuvier) na região, com foco nos fatores biológicos e ecológicos que podem afetar suas migrações.

Como uma espécie listada como 'Quase Ameaçada' na lista vermelha da IUCN, e potencialmente perigosa para humanos, o estudo destinava-se a fornecer informações críticas sobre os movimentos dos tubarões tigre para auxiliar na futura gestão sustentável da espécie, bem como fornecer informações sobre quando encontros de tubarões com humanos podem ser mais prováveis.

Para monitorar grandes movimentos dos tubarões, tags de satélite foram colocadas em tubarões selvagens vivos que eram posteriormente soltos. Dados migratórios e de localização, bem como informações de profundidade e temperatura, foram então coletadas pelas tags e transmitiras via o sistema de satélite ARGOS de volta para a equipe de pesquisa.

O financiamento fornecido pela FG Wilson foi usado para patrocinar a marcação do tubarão tigre na costa leste da Austrália. No dia 25 de setembro de 2010, um tubarão tigre fêmea de 3,1 metros foi marcado com a tag Pop-up Archival (PAT) da FG Wilson nas águas costeiras de Noosa, Queensland. Ela foi apelidada de 'Gennie' em referência aos geradores da FG Wilson.

Conforme Bonnie Holmes - o candidato ao doutorado da Universidade de Groenslandesa, responsável pelo estudo - explica, a 'Gennie' teve uma participação importantíssima em garantir o sucesso do estudo e garantir que constatações chave fossem feitas.

"A tag da Gennie foi liberado prematuramente nove dias depois, mais de 250 quilômetros distante da plataforma continental. Os dados da PAT revelaram que a tag foi liberada prematuramente com base em uma liberação pré-programada, porque Gennie havia alcançado profundidades de aproximadamente 1.980 metros. As tags são programadas para tal porque esta profundidade é o limite em que a pressão pode fazer com que as tags implodam.

"Apesar de eu não poder determinar se ela tinha realmente nadado até lá, ou se tinha sofrido uma fatalidade, as informações que ela forneceu são inestimáveis." Sua extensão total de rastreamento foi de 258 km, os quais ela percorreu aproximadamente 32 km por dia a uma velocidade de 3km por hora. A profundidade máxima durante a movimentação ativa foi de 156 metros em águas relativamente quentes com uma temperatura mínima de 20,6ºC.

"Felizmente a história da Gennie não acabou por aí - alguns parceiros pesquisadores trabalhando em Nova Caledônia reconheceram as marcas na sua cauda dorsal a partir de fotografias tiradas durante a nossa marcação em Noosa. Aparentemente, a Gennie foi vista duas vezes antes em 2002 e 2008 em Nova Caledônia, o que significa que ela havia percorrido uma jornada de 2000km ao longo do Mar de Corais até as águas australianas.

"Esse reencontro foi um dos primeiros casos confirmados de conectividade populacional de tubarões tigre ao largo da região sudoeste do Pacífico e tem grandes implicações na gestão internacional de pesca para o futuro, bem como para o trabalho de estruturação da população genética que eu estou conduzindo como parte da minha pesquisa. Isso tudo foi possibilitado pela generosa doação ao estudo feita pela FG Wilson."

Steve Morcom da FG Wilson comentou:

"A FG Wilson está totalmente ciente de sua responsabilidade social corporativa e possui um plano global que garante que nós contribuamos com as comunidades em que operamos mundialmente.

"Esse projeto de pesquisa do tubarão tigre foi de extrema importância no fornecimento de dados de conservação vitais com relação à ecologia e a biologia das populações de tubarão tigre da região sudoeste de Queensland. Nós estamos satisfeitos pelo grande sucesso do projeto e desejamos a Bonnie e sua equipe sucesso no futuro."